Queques “Low Carb” e sem Glúten

Agora que descobri as receitas de guloseimas com substituição dos venenos industriais, a procura parece estar em alta. Depois das panquecas, a minha família pede mais!!🙂

A minha filha pediu-me para fazermos queques juntos. Fui buscar uma receita de “Blueberry Muffins” aos meus santuários Paleo e metemos mãos à obra. Comecemos pelos resultados:

Blueberry Muffins à Vasco.🙂
Farinhas: amêndoa e côco.
Recheio: Mirtilos e Maçã.
Adoçante: Mel.

Ingredientes da massa (8 queques médios):

  • 2 chávenas de farinha de amêndoa;
  • 3 ovos;
  • meia chávena de farinha de côco;
  • 1/4 de chávena de leite de côco;
  • 1/4 de chávena de mel;
  • uma pitada de sal;
  • uma pitada de fermento.

Recheio:

  • Qualquer coisa boa… frutos do bosque, maçã, pêra, banana, pepitas de chocolate, pinhões, nozes, avelãs, etc… 🙂 you’re the boss!

Preparação:

  • Aquecer o forno a 150 graus;
  • Misturar os ingredientes da massa na batedeira até ficar homogéneo;
  • Untar as formas com manteiga (a verdadeira, de origem animal) ou com óleo de côco;
  • O recheio pode ser misturado à mão na massa se quisermos que fique bem distribuído pelo corpo do queque;
  • Deitar a massa nas formas;
  • Decorar com o recheio se quisermos que fique mais por cima.
  • Cozer no forno durante 30 a 40 minutos.

Notas:

  • A farinha de amêndoa pode fazer-se em casa triturando amêndoas num moinho. O moinho de café é bom para isto.
  • O mesmo se aplica ao côco e a outras farinhas como a de nozes, mas é preciso ter atenção porque estas coisas gordurosas facilmente se colam à lâmina e ao recipiente provocando o aquecimento da lâmina e da “farinha”, que derrete e se degrada. Evitar moer demasiado tempo.
  • O côco foi adicionado por mim, pode ser evitado por quem não gosta da textura ou do aroma.
  • A mão-de-obra infantil foi definitivamente usada nesta confeção. Os putos têm de tomar contacto com o mundo real, caramba!!😛

Conclusão:  hummmmm….. deliciosos. São um bocado mais “pesados” do que os normais, mas também satisfazem muito mais!🙂

A massa não engorda nem provoca distúrbios no sistema, e o mel e as frutas são os únicos ingredientes que violam um bocado o status “low carb” destes queques… mas como vão bem misturados com bastante gordura e alguma proteína, o índice glicémico deve ser relativamente baixo e são bastante mais nutritivos do que o normal.

Se dúvidas houver sobre o estatuto do mel na alimentação “paleo”, há aqui uma discussão mais aprofundada do assunto. Quanto a mim, se vamos adoçar qualquer coisa, é de longe preferível que o façamos com frutas e mel, já que este tem propriedades antimicóticas e antibióticas. E quanto mais escuro e baço, melhor.

Portanto, ao contrário da pastelaria corrente, podem classificar-se como alimentos nutritivos.😉

Enjoy!!!!

~ por Vasco Névoa em Maio 4, 2012.

13 Respostas to “Queques “Low Carb” e sem Glúten”

  1. Também descobri recentemente o maravilhoso mundo da “doçaria” Primal. Faço uns bolinhos de amêndoa que descobri no livro da Bimby que levam apenas ovos, amêndoa e açúcar (uso apenas 1 colher ou 2 de açúcar amarelo ou mel!) e ficam deliciosos, a minha moça pequena adora e estes não me importo que ela coma.
    http://www.mundodereceitasbimby.com.pt/receitas/5796/bolo-algarvio.html
    Faço também bolinhos de côco (côco ralado, ovos, um toque de açúcar/mel e limão e 1 colher de sopa de farinha de arroz para melhorar a consistência) que ficam muito bons.
    Ela também adora ajudar, faço tudo em pequenas formas de silicone e ela diverte-se imenso a enchê-las.🙂
    Panquecas fiz 1 vez com farinha de castanha, ficaram divinais e acho que vou experimentar estes queques, têm um ar maravilhoso.😛

    Tânia

    • Muito obrigado, Tânia!🙂 Grandes dicas!🙂
      E essa farinha de castanha, como se arranja? Tenho muita curiosidade sobre as farinhas que se usavam tradicionalmente em Portugal antes da invasão do Trigo, como a de Castanha e a de Bolota. São mais ricas em proteína, gordura, e micronutrientes, e não parecem ter o problema das proteínas “maradas” do glúten. Onde se arranja bolota para consumo humano?… e a que corresponde exatamente isso?… mistérios ainda por resolver…😉

      • No Celeiro há muitas farinhas, a de arroz até nem é cara, mas como tenho a Bimby, pulverizo facilmente o arroz em grão.🙂 A de castanha costumo comprar lá, assim como a de alfarroba, que são muito boas, embora não muito baratas…
        Comprei também recentemente, no supermercado, farinha de mandioca (Cassava/manioc/tapioca) e fiz umas pequenas bolinhas de “pão” que ficaram boas, mas a farinha tinha um grão grosso e ficaram com aquela consistência.🙂
        Quanto à bolota, também gostava de saber, pelos visto só serve para dar aos porcos.😉

  2. Boa, obrigado. Tinha deixado de ir ao Celeiro porque é tão centrado nos cereais… agora vejo que tenho de lá voltar.
    Atenção à farinha de Alfarroba, é muito rica em minerais e vitaminas, mas também é uma bomba de açúcares.🙂 Para mim fica na categoria do Mel, é um aditivo para dar sabor – já consegui que a minha pequena de 6 anos se habituasse a usá-la como “chocolate em pó” para o leite, mas foi um processo gradual de “desmame” do chocolate em pó tradicional com 60 a 70% de açúcar refinado…🙂
    Agora só falta mesmo desmamá-la do leite… não vou deixá-los cair na mesma asneira que eu fiz, beber leite todos os dias até chegar aos 23 anos e o meu fígado revoltar-se contra mim – passou a dar-me vómitos o cheiro do leite nessa altura. O leite é um bom alimento até aos 3 ~ 4 anos de idade; depois disso é desadequado ao sistema digestivo.
    A seu tempo tudo encaixa.😉

  3. E estou a começara ver que, se vou mesmo levar a culinária a sério, não consigo evitar a bimbi…🙂

    • Pois, tirando os cereais, até se encontram umas coisas interessantes no Celeiro.😉
      Eu sei, mas faz um bolo delicioso, gosto bastante do sabor da alfarroba, já a minha moça, mandou-mo comer a mim.😀
      A minha é mais nova e ainda está na fase do leite, mas bebe-o sem nada, felizmente. Então e passar para os iogurtes? Com a iogurteira fazem-se uns bem bons, outro dia fiz uns de chocolate e chocolate e côco tão bons!😛
      A bimby é simpática e tudo depende do que se cozinhar. As sopas/cremes ficam com uma consistência fantástica por causa da potência da lâmina. Eu uso pouco para cozinhar mesmo, pois faço muitos grelhados e gosto é da carne na frigideira, mas para as coisas “doces” é uma excelente companheira, pois faz quase tudo. Eu acho que me compensa, pois consegui comprar na net 1 usada, na garantia, por um preço bastante simpático.😉

      • Pois, os yogurtes e o queijo têm sido a salvação. Aos poucos vamos fazendo a transição.
        Pessoalmente tenho consumido Kefir de vaca, faz boa combinação com banana e chocolate no batido pós-treino.😉 Mas é demasiado ácido para o gosto do resto da família…😦 E a minha filha também não ficou nada impressionada com a minha explicação do processo metabólico da fermentação…. “comer o cocó dos bichinhos microscópicos?!!!… blarrrgh!!”
        Por isso acho que está na altura de arranjar a tradicional yogurteira.
        O que usas para começara a cultura? um pouco de yogurte comercial, ou qualquer coisa mais específica?

      • Começo com iogurte comercial, embora natural sem açúcar seja mais difícil de arranjar hoje em dia, é tudo com açúcar. O Lidl tem uns pacotes de 8 naturais sem açúcar e acho que o minipreço também.

  4. Ok. Eu tenho comprado os yogurtes “gregos” sem açúcar (não me lembro se da Danone ou da Nestlé) que agora há nos supers. Os miúdos estão a habituar-se bem, e quando querem algum sabor diferente uns morangos ou umas avelãs caem bem lá dentro.

    • Esse são bons, muito espessos, para os fazer são precisas natas, além do habitual iogurte e leite.🙂

  5. Só mais uma achega, a mandioca tem a textura ideal para os filetes, pois é mais grossa e fica aquela cobertura estaladiça. De vez em quando, vai muito bem.😉

  6. Mais umas coisas
    http://www.musculacao-pt.net/porque-nao-deve-exagerar-no-consumo-de-frutos-secos/#comment-1371

    http://balancedbites.com/2010/12/for-the-love-of-almonds-and-some-omega-36-fats-talk.html

    Só a farinha de côco é diferente porque o fruto já está demolhado durante o crescimento, tem água dentro.
    E a farinha de arroz branco, um pouco também não faz mal… nem bem🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: