Wargames

Hoje deu-me um pouco de nostalgia… principalmente porque apesar de minha tenra idade😉 , a maior parte dos meus colegas de trabalho já não pertence à geração que teve o privilégio de apreciar este excelente filme dentro do seu contexto original da guerra fria.

Wargames foi o primeiro filme de “hacking” que vi, e continua a ser um dos mais genuínos. Foi também a história que me abriu os olhos para as possibilidades infinitas dos computadores. Eu devia ter 10 anos quando vi a versão vídeo em casa, num gravador Beta (jesus…), e uma frase nunca mais largou o meu cérebro desde esse dia: “(…) he actually taught the computer how to learn!”. Desde aí, sempre que oiço a frase “Greetings, Professor Falken” sinto arrepios na espinha. Mesmo depois do HAL de “2001 – Odisseia no Espaço” ter originado toda uma geração de cientistas da computação, eu continuo a acarinhar este argumento velhinho e agora sem grande significado (depois da queda do bloco comunista).

Mas outra frase (proferida por “Joshua”, o computador) é inesquecível e para mim resume o cerne do filme:

“Strange game. The only winning move is not to play. How about a nice game of chess?”

Bons tempos, aqueles em que as máquinas eram capazes de demonstrar mais bom-senso que os humanos… espera aí!… ainda estamos nesse tempo, não é???

~ por Vasco Névoa em Janeiro 24, 2008.

6 Respostas to “Wargames”

  1. Eu sei que é um bocado deslocado, mas aqui fica uma sugestão:
    a série Eureka (ou “A Town Called Eureka”).
    A ideia base é um US Marshall que tem um acidente de carro vai ter a uma cidade. Essa cidade é o local onde vivem os melhores cientistas e onde é desenvolvida toda a tecnologia de ponta (carros voadores, nanotecnoogia, manipulação genética, armas avançadas, etc…).
    Durante a sua estadia, o Marshall demonstra ter uma abordagem prática aos problemas que os geeks da cidade não conseguem ter. Como tal é “convidado” a ficar, e é “promovido” de US Marshall a Sheriff da cidade.

    Vale pela originalidade e pelas personagens (o Marshall é infantil e claramente menos sabedor que qualquer outro habitante da cidade, a filha rebelde, a patroa toda boa, o vilão obcecado por um artefacto, um caçador australiano que tenta caçar um cão com um QI de 130, a casa inteligente que amua quando o Marshall não liga para casa a dizer que se vai atrasar).
    Não há preocupações de manter a coisa real… afinal de contas, em Eureka tudo o que seria ficção cientifica é realidade😉

  2. Pois, e eles já na altura tinham telefones com “flat-rates” e ele podia ligar para todos os números para descobrir modems. E nós aqui já eramos chulados pela PT!🙂

    Ah, bons tempos das linhas telefónicas analógicas, com as black-boxes, blue-boxes, etc. Eheheh

  3. Tenra idade? Se te lembras do filme tens pelo menos uns 25 anos. Isso já não é lá muito tenro😉

  4. um bocado deslocado???? isso é um insulto!
    Wargames é mítico!

    “Flush the bombers, get the subs in launch mode. We are at DEFCON 1.”

  5. “Pois, e eles já na altura tinham telefones com “flat-rates” e ele podia ligar para todos os números para descobrir modems. E nós aqui já eramos chulados pela PT! :)”
    Independentemente disso, ele fez o trabalhinho de graça… a rapariga pergunta-lhe: “Isn’t that expensive?” e ele responde “There are ways around that”…;)

    “Ah, bons tempos das linhas telefónicas analógicas, com as black-boxes, blue-boxes, etc. Eheheh”
    Exactamente!!!🙂

  6. Wow. Wargames com certeza é um clássico.
    Bem melhor que aquele “Hackers”, que de legal mesmo só a Angelina Jolie.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: